Destaque

GENARC de Goianésia apreende “bebê do tráfico”. Droga estava em embalagem de salgadinhos

06 Out 2014
702 times

Policiais civis do Grupo Especial de Repressão a Narcóticos (GENARC) de Goianésia apreenderam, no dia 5 de outubro, um menor de 16 anos que transportava 250 gramas de cocaína e 100 gramas de crack, escondidos dentro de uma embalagem de salgadinhos de milho.

O menor, que já vinha sendo investigado pelo GENARC, foi flagrado no centro da cidade. A droga foi encontrada porque, apesar de lacrada, a embalagem de salgadinho, apresentava peso três vezes maior que o normal. O adolescente teria sido aliciado e recrutado, como “um bebê do tráfico”, por traficantes de Goianésia.

Segundo o delegado Marco Antônio Maia, coordenador do GENARC, como a lei penal não permite a prisão de menores, os adolescentes estão sendo usados para transportar, armazenar e revender a droga. Aos chamados “bebês do tráfico” são oferecidos desde motocicletas até armas de fogo, utilizadas para proteção dos pontos de tráfico.

As armas, conforme explica Maia, também são utilizadas para intimidar devedores inadimplentes. O adulto, dono do entorpecente, não fica, então, de posse da droga, mas apenas com o dinheiro da venda. “Em troca, os menores recebem dinheiro, uma quantidade de drogas, armas e o direito de ostentar o luxo obtido com o tráfico”, explicou o delegado.

Segundo Marco Antônio, essa prática tem sido responsável pelo aumento de homicídios e tentativas de homicídios originárias na disputa pelo comércio ilegal de drogas. “Em festas, é comum que gangues rivais se encontrem e se desentendam. Algumas pessoas são presas, mas os menores acabam liberados por determinação legal. É como enxugar gelo”, desabafou um dos policiais civis que participaram da apreensão do menor.

Neste caso, ficou comprovado que o fornecedor do entorpecente é um traficante recolhido no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia. Marco Antônio Maia afirma que, após identificação do detento, fará representação pela prisão. Já o adolescente será apresentado no Ministério Público e, dependendo das circunstâncias, poderá cumprir medidas sócio educativas em unidades juvenis de Goiás.

Texto: Flávia Guerra – Assessoria de Imprensa da Polícia Civil
Foto: Polícia Civil / GENARC / Goianésia

Rate this item
(0 votes)