Destaque

Médico ginecologista que acariciava e beijava as pacientes foi preso em Goianésia pela Polícia Civil.

05 Abr 2014
1275 times

Policiais Civis da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM), de Goianésia, prenderam naquela cidade o médico ginecologista boliviano, naturalizado brasileiro, Oscar Ribera Paniagua, de 64 anos, suspeito de abusar de suas pacientes. De acordo com a Delegada Poliana Bergamo, Titular da DEAM, os abusos ocorreram entre 2012 e fevereiro deste ano.

O relato das vítimas, que têm entre 23 e 48 anos, mostrou que em todos os casos, Oscar agia de modo semelhante, fazendo elogios e perguntas impróprias às pacientes. No final, as segurava e tentava beijá-las na boca”, detalhou Poliana Bergamo

Duas das vítimas relataram à Delegada Poliana Bergamo que Oscar Ribera também atuava também como clínico geral. Durante as consultas, o médico questionava se as mulheres haviam feito cesarianas e pedia para ver as cicatrizes. Com uma das pacientes, o atendimento era para ser exclusivamente clínico, objetivando a emissão de receita para medicamento controlado. Mesmo assim, o médico pediu, segundo a vítima, para que tirasse a roupa e acariciou sua vagina por quatro vezes.

Em um segundo caso, disse a Delegadas, a paciente queixava de problema na vesícula. O médico mandou a paciente deitar na maca para examiná-la, ocasião em que pediu para ver a cicatriz de sua cesárea. A vítima negou, mesmo assim, Oscar abaixou sua calça e disse que a cicatriz havia ficado muito boa e que era ginecologista.

O terceiro caso foi de uma paciente que já havia feito cauterização com o ginecologista. Na consulta de retorno, o médico teria realizado um exame de toque, colocando o dedo dentro da vagina e girou, sem o consentimento da mesma. A vítima ficou assustada porque na primeira consulta isso não ocorreu. Desconfiada, pelo fato de que as feridas eram apenas na região externa, puxou a mão do médico. A vítima relatou ainda que, não satisfeito, na saída do consultório, o médico ainda beijou em sua boca .

Disse Poliana Bergamo que até o momento quatro vítimas procuraram a Polícia Civil. A Delegada acredita que, com a notícia da prisão, outras vítimas se encorajarão em denunciar o médico: “Nestes casos é comum a paciente não esboçar reação inicial, pois há uma perplexidade momentânea, seguida pelo sentimento de indignação e revolta posterior .”Pedimos que outras vítima procurem a Polícia Civil para denunciar esse médico “, pede a Delegada.

Oscar trabalhou em três hospitais particulares de Goiânia durante quinze anos. Atualmente, também presta atendimento no Hospital Santa Maria, em Brasília, no Distrito Federal. O ginecologista foi autuado pelos crimes de violação sexual mediante fraude, constrangimento ilegal e perturbação da tranquilidade.

Texto: Delegado de Polícia Norton Luiz Ferreira – Assessor de Comunicação da Polícia Civil
Foto: Polícia Civil / DEAM

Rate this item
(0 votes)